Não é de hoje que todo o setor de comunicação que assessora jornalistas na divulgação de conteúdos sobre seus clientes, sofre com as mais diversas depreciações no que diz respeito à pertinência, credibilidade, idoneidade e qualidade de seus trabalhos.

As críticas nem sempre são justificáveis, embora ainda existam assessorias de imprensa que atravancam as caixas de emails de jornalistas com texto fora do foco de atuação/editoria que o colega trabalha, ou que fazem follow up que não acrescentam nada ao release já enviado.

Mas a verdade é que o meio evoluiu muito. As assessorias realmente sérias, fundamentadas, tem consciência da importância de um trabalho bem realizado, não só para não incomodar a redação, mas especialmente para ter o resultado efetivo de suas ações.

Sendo assim, a discussão sobre o tema, que gerou até campanha na Inglaterra, An Inconvenient PR Truth (link), parece notícia velha. Ainda mais em se tratando de um país calcado em tablóides sensacionalistas.

A prova de que a discussão é defasada é que aqui no Brasil, grandes e sérios veículos, assim como jornalistas gabaritados, sabem valorizar e respeitar o trabalho de uma assessoria de imprensa, não generalizando a categoria.