Medidas simples podem evitar a perda auditiva, que muitas vezes acontece de forma gradativa, sem que a pessoa perceba.

O otorrinolaringologista da Santa Casa de Porto Alegre, José Lubianca Neto, explica que uma das principais causas do problema é a constante exposição a ambientes muitos barulhentos.

No tratamento de reabilitação, o fonoaudiólogo pode atuar junto com o médico, somando nos resultados, como explica a coordenadora do departamento de audição e equilíbrio da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, Doris Lewis.

Em situações extremas de perda de audição pode até ser recomendado um implante, também conhecido como ouvido biônico.

Leia matéria a respeito no portal da Band News FM e ouça a entrevista com a Fonoaudióloga Doris Lewis, aqui.

De acordo com o mais recente levantamento do Ministério da Saúde, divulgado em abril deste ano, quase metade da população brasileira está acima do peso. Em Porto Alegre, região do Sul do país, foi detectado o maior índice de sobrepeso (55,4% da população). Visto como a porta de entrada para uma série doenças cardiovasculares, o excesso de peso passa a ser visto não apenas como um problema estético, passando a orientar tratamentos direcionados e que visem conter a evolução do cenário da obesidade e suas consequências, ainda no inicio. Dentre as indicações terapêuticas em crescente indicação no momento, está o balão intragástrico Orbera™, o único aprovado pela Anvisa para portadores de IMC (Indice de Massa Corpórea) a partir de 27 – justamente a faixa de sobrepeso.

Segundo o especialista em nutrologia graduado pela Universidade de Passo Fundo e endoscopia digestiva pela Sobed (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva), dr. Iran Moraes Júnior – de Passo Fundo e que trabalha há mais de dois anos com o balão –, a terapia vem atender a um público antes à margem de tratamentos mais efetivos e menos radicais, com acompanhamento amplo e de longo prazo. “O balão Orbera™ tem grande indicação por não se restringir apenas a um dispositivo mecânico que oferece saciedade, mas por estar inserido dentro de um programa multidisciplinar que reeduca o paciente para a mudança efetiva de hábitos. E ao atingir a faixa do sobrepeso, tem muito mais chances de resultado”.

O balão é aconselhado, na maioria dos casos, para indivíduos que já passaram por diversos tratamentos sem sucesso, portadores de hipertensão arterial sistêmica (HAS), diabetes tipo 2, que não possuem indicação ou não querem se submeter a uma cirurgia, ou mesmo como pré-operatório de cirurgia bariátrica (para redução de riscos).

Dr. Iran ressalta que a opção é menos invasiva e raramente interfere na absorção de nutrientes pelo organismo, o que também ajuda no comprometimento do paciente.

Como funciona o balão intragástrico Inserido via endoscopia sob sedação por médico endoscopista ou cirurgião do aparelho digestivo, o dispositivo é preenchido com soro e azul de metileno estéreis na quantidade de 400 a 700ml. Todo o procedimento dura em média 20 minutos. Dentro do estômago, o balão proporciona saciedade, tanto pelo volume ocupado quanto pela localização em que é posicionado. Sua permanência no corpo é de até seis meses, período em que é possível a perda média de 12% do peso inicial. [1] Caso seja necessário, é possível indicar um novo balão intragástrico num intervalo de um mês após a retirada do primeiro.

Os dias já estão ganhando aspectos da nova estação do ano, o outono, e as temperaturas ficando mais distantes da casa dos 20ºC. Os ponteiros dos termômetros vão caindo cada vez mais e, infelizmente, o que sobe são os casos de crianças adoentadas durante este período.

Sendo assim, compartilho a pergunta que recebo em meu consultório com mais frequência durante este período mais frio: quais cuidados os pais devem tomar com os baixinhos durante as temperaturas mais baixas?

Para ajudá-los em como proteger seus filhos das doenças mais presentes no outono, reuni algumas dicas preventivas e muito significativas:

É importante destacar que o outono é marcado pelo tempo seco, maior nível de poluição atmosférica e por mudanças abruptas na temperatura em um só dia. Esse cenário, somado ao fato de os ambientes ficarem mais fechados e consequentemente menos arejados, contribui para a disseminação de doenças transmitidas em locais fechados, como as viroses, crises alérgicas e as infecções respiratórias (gripes e resfriados).

Para se evitar tal propagação, é indicado que os ambientes sejam bem arejados. Não falo que as janelas devam ficar totalmente abertas à passagem do vento gelado, mas é necessária uma brecha para a abertura da passagem e saída do ar, diminuindo a chance do alojamento de vírus e bactérias. Basta que não se feche a janela de vidro inteira, deixando arejar um pouco através da veneziana.

Outro fator importante está relacionado à limpeza dos ambientes, que devem ser livres de sujeira e poeiras, que aumentam a probabilidade de crises alérgicas nos baixinhos, principalmente nos tempos em que as temperaturas caem bastante.

Quanto aos aquecedores, não vejo problema em utilizá-los, desde que sejam aqueles que não piorem a qualidade do ar. Recomendo o uso de aquecedores a água ou óleo por disporem de radiadores pelo qual através dos quais o ar circula, sendo aquecido e, consequentemente, aquecendo todo o ambiente sem ressecá-lo.

Por último, e não menos importante, as crianças devem ingerir bastante líquidos e alimentos saudáveis e, claro, ser bem agasalhadas.

Lembre-se que, ao primeiro sinal de febre alta, tosse e ou problemas respiratórios, um médico pediatra deve ser consultado.

Por Dr. Sylvio Renan

Durante os quatro dias da 19ª Educar Educador, realizada de 16 a 19 de maio, em São Paulo, foi constante a presença dos meios de comunicação e mídias sociais no evento. A qualidade dos palestrantes e expositores, a diversidade de temas, as presenças internacionais e os produtos mais inovadores chamaram a atenção dos principais veículos brasileiros.

Nesta edição, praticamente todas as grandes emissoras abertas de televisão fizeram a cobertura do evento, tais como TV Globo, SBT, TV Gazeta, TV Brasil e RIT TV, entre outras, e ainda a Globo News (TVs por assinatura).

As rádios, de Norte a Sul, também divulgaram a Educar Educador de forma espetacular, tanto antes como durante o evento. Mais uma vez, tivemos diversas reportagens nas Rádios Globo, CBN, MEC, Estadão ESPN, Jovem Pan e Tupi citando apenas algumas e de alcance nacional. A Agência de Rádio Webcom Brasil, com distribuição de seus materiais para centenas de emissoras brasileiras, também foi essencial para a ampliação da divulgação do evento.

Os veículos impressos mais uma vez destacaram a Educar Educador em suas editorias de Educação. Todas as principais revistas do segmento de educação cobriram o evento in loco. Jornais de grande circulação, como o Estado de S. Paulo e Gazeta do Povo, por exemplo, entrevistaram expositores, educadores, especialistas e palestrantes nacionais e internacionais.

Internet e Redes Sociais

Além das redes sociais oficiais da 19ª Educar Educador (Facebook, Twitter e Youtube), os grandes portais de notícias como UOL, iG, G1, Veja online, R7 e MSN publicaram matérias e entrevistas especiais com alguns palestrantes dos congressos pedagógicos. A exposição de produtos e serviços apresentados no Centro de Exposições Imigrantes foi também destaque nos principais sites da Internet.

Um dos resultados de mídia resultou ainda na visitação de uma telespectadora à Feira Educar para conhecer melhor uma das tecnologias apresentadas para portadores de deficiência visual, o que revela a prestação de serviço através da mídia.

Veja algumas entrevistas/reportagens sobre a 19ª Educar Educador:

 

Jornal do SBT

Jornal da Globo

Jornal da Globo News

Bom Dia Brasil

Jornal Hoje

TV Gazeta

Bom Dia São Paulo

Falta de informação acaba atrasando a consulta ao médico

O câncer é uma doença que assusta a todos, mas se diagnosticada precocemente, as chances de cura são grandes. Todos nós estamos acostumados a ler sobre campanhas preventivas de diversos tipos da doença, mas pouco se diz sobre tumores cerebrais, um dos tipos que mais assustam pacientes e familiares pela sua localização. Embora o percentual de prevalência não seja tão grande, as consequências – incapacidade e índice de mortalidade – são suficientemente importantes para alertar a população para a necessidade de um diagnóstico precoce, principalmente porque seus sintomas, em sua maioria, se confundem com os de outras doenças.

É comum que as pessoas confundem dor de cabeça com um possível tumor. E também é verdade que um dos primeiros sintomas da doença seja a cefaléia (principalmente pela manhã), mas não é preciso correr para o médico com o aparecimento deste sinal. É preciso ficar atento às características desta dor de cabeça, que é diferente das usuais e também à correlação de outros sintomas como vômitos em jato, perda de coordenação motora, tontura, perda de visão, perda de audição, dor no rosto, perda de força em um lado do corpo e alteração da sensibilidade em partes do corpo.

O mais importante é não se automedicar, porque isso pode retardar o diagnóstico e comprometer o prognóstico. O correto é procurar um médico neurologista que poderá fazer checar a história do paciente, pedir exames neurológicos e complementares, tais como tomografia computadorizada, ressonância magnética e eletroencefalograma.

Embora seja uma doença com alto grau de mortalidade, com o avanço da medicina já é possível curar alguns casos ou aumentar a expectativa e qualidade de vida de seus portadores.

Existem diversos tipos de tratamentos para os mais variados tipos de tumor cerebral. A cura, ao contrário do que as pessoas acreditam, é possível, dependendo do tipo de tumor e da fase em que foi diagnosticado. Nos tumores benignos a chance de surgimento de um outro tumor é rara. Mas o que temos observado é que muitos casos chegam até nós em estágio avançados, o que tem dificultado as chances de sucesso do tratamento.

Em princípio, todos os tumores cerebrais devem ser tratados cirurgicamente, mesmo os benignos, cuja remoção completa poderá levar a cura da doença. Hoje, com o avanço da medicina, a neurocirurgia é realizada inclusive com cálculos físicos e matemáticos, que diminuem as chances de danos em outras áreas do cérebro.

E mais, para potencializar as possibilidades de êxito, o tratamento dos tumores encefálicos deve ser feito por uma equipe multidisciplinar, a qual oncologistas, radiologistas, radioterapêuticas, neurocirurgiões, psicólogos, físicos, neurologistas, possam atuar em conjunto na busca da melhor solução/auxílio para a recuperação da qualidade de vida do paciente.

Dr. Claudio Fernandes Corrêa

O Programa de Educação Continuada (PreCon) acontecerá dia 1º de junho e é destinado a médicos clínicos, cardiologistas, residentes e estudantes de medicina

 

A Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) realiza dia 1º de Junho (sexta-feira) a Jornada de Atualização em Arritmias Cardíacas, em Goiânia (GO), com duas importantes discussões no campo das arritmias cardíacas: Doença de Chagas e Fibrilação Atrial. Através do PreCon, a SOBRAC estimula a atualização de profissionais da área médica especializada em arritmias cardíacas e morte súbita.

Os dois assuntos que serão tratados na Jornada de Arritmias Cardíacas, doença de Chagas e Fibrilação Atrial, estão cada vez mais em voga quando se fala em doenças cardiovasculares, hoje responsáveis por 32% da mortalidade total no Brasil, conforme dados do Ministério da Saúde e do estudo Doença Coronária no Brasil [Coronary artery disease in Brazil]¹.

Uma das conferências será apresentada pelo médio goiano Anis Rassi Jr., intitulada “Chagasics – a importância de um estudo multicêntrico brasileiro”, apresentando o protocolo de um dos mais importantes estudos randomizados (por sorteio) que será realizado em breve no Brasil. “Este é um superestudo que fará um Raio X sobre a doença de Chagas no Brasil, com participação de diversos centros de pesquisa em todo o território nacional e que, certamente, despertará muito interesse na comunidade médica de Goiânia”, diz o médico Anis Rassi Jr., membro da SOBRAC e diretor científico do Anis Rassi Hospital (Goiânia).

Outro tema relevante apresentado durante a Jornada de Atualização em Arritmias Cardíacas será sobre Fibrilação Atrial, doença que acomete 2,5% da população brasileira e que tem como uma de suas consequências o Acidente Vascular Cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame.

“O aprimoramento é fundamental na medida em que terá reflexo para a população, proporcionando aos médicos clínicos e cardiologistas mais conhecimento para atuar de forma mais conscientes na prevenção, no diagnóstico e no tratamento das arritmias cardíacas. Por isto, o Precon – Programa de Educação Continuada – é uma das atividades mais importantes que realizamos em diversas cidades brasileiras”, explica o cardiologista Adalberto Lorga Filho, Presidente da SOBRAC.

SERVIÇO:

Jornada de Atualização em Arritmias Cardíacas (PrECon) – Goiânia (GO)

Realização: Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC)

Data: 1º de Junho de 2012

Horários: Sexta-feira (1º/06), às 19h30.

Local: Castro’s Park Hotel (Av. República do Líbano, 1520 – Setor Oeste – Goiânia
(GO)

Programa Oficial: http://www.sobrac.org/conteudos/precon_goiania-2012.asp